Lugar remoto de mitos pessoais, onde se vivem e guardam as vontades na sua essência...

06
Out 08

 

Diz-me quem és, não o que fazes.

É estranho quando vivemos com as pessoas e há tanta coisa que desconhecemos delas, sobretudo quando elas nos são próximas.

Dá para pensar até que ponto partilhamos, até que ponto as conhecemos e elas a nós. Até que ponto o ser é.

Parece-me que descobrimos mais nas pessoas quando as relações começam, do que quando elas evoluem.

Estranho, porque as pessoas se renovam constantemente, mas e as relações?

Deixamos de falar de pequenas coisas, como um acontecimento diário diferente que nos tocou mais profundamente, uma música, um sonho antigo, qualquer coisa.

Relação íntima... onde está a partilha da interioridade, afinal?

A profundidade, numa relação, é dificil de acontecer. Escondemo-nos uns dos outros. Começa o silêncio a escavar buracos vazios em vez de espaços preenchidos com a satisfação de nos sabermos realizados nas nossas necessidades e vontades.

 

Tenho saudades de uma boa conversa.

 

publicado por mitho às 13:47
música: http://www.youtube.com/watch?v=0o2DqKfbK_E

Adorei esta reflexão.
Venho aqui a ler, vou fazer uma introspecção e depois... comento.
1 beijo.
Francis a 6 de Outubro de 2008 às 15:20

Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
15
16
17

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO